Kempo

O Kempo ou Kenpo é uma arte marcial que reúne em si um conjunto de várias técnicas marciais e estimula todos os praticantes a procurarem a paz e o equilíbrio interior. Saiba o que é a arte do Kempo ou Kenpo e desenvolva uma perfeita harmonia entre a sua mente, corpo e espírito.

O que é o Kempo ou Kenpo

O Kempo ou Kenpo é um sistema de artes marciais que tenta ir ao encontro das necessidades e expectativas de todos os seus praticantes. Trata-se de uma disciplina única que procura o crescimento espiritual, a necessidade de autodefesa e melhoria de saúde. É um sistema de combate com métodos de ataque e defesa, onde se realizam todo o tipo de golpes com os pés e com as mãos com o intuito de imobilizar e controlar um oponente.

Um praticante de Kempo ou Kenpo começa por aprender as linhas condutoras do Karate e dos seus exercícios repetitivos. Por outro lado, são trabalhados os movimentos suaves do Tai Chi ou estilos de Kung Fu. Com o avançar dos treinos, um praticante aprende um extenso conjunto de bloqueios, pausas, quedas e técnicas de submissão encontradas no Jiujitsu. O Kempo ou Kenpo é uma disciplina marcial que procura ensinar todos os pontos de pressão que são encontrados nas inúmeras artes marciais, todo o tipo de ataques múltiplos, lutas no chão e manuseamento de armas de combate.

Os termos Kempo e Kenpo são japoneses e é de realçar que não existe nenhuma diferença entre eles, uma vez que ambos têm o mesmo significado, isto é: “A lei do punho”. A diferença entre os dois termos fica a dever-se apenas a uma variação na transliteração do kanji original para as outras línguas do Ocidente.

A importância da espiritualidade no Kempo ou Kenpo

“Nada é impossível para uma mente solícita”: esta é uma expressão retirada dos livros da dinastia Han e é a partir dela que derivam os princípios fundamentais do Kempo. O que diferencia o Kempo do Boxe, Wrestling e Vale Tudo, entre outras artes marciais, é a ênfase que é dada à vertente espiritual do corpo e da mente.

Esta é uma disciplina que proporciona uma viagem de autoconhecimento, em que um aluno entra em contacto consigo próprio e desenvolve a sua mente para aprender disciplinas como a filosofia, física, matemática e psicologia. Ao aprender a conhecer-se a si próprio terá a consciência das suas próprias limitações e compreenderá como o corpo humano realmente pode ser fraco, principalmente ao nível espiritual.

A prática desta disciplina contribui para a melhoria da qualidade de vida de uma pessoa e esses benefícios são notórios a um nível físico e psicológico. O Kempo/Kenpo não é apenas um meio para derrubar um adversário através da força, mas sim uma disciplina que ensina os princípios essenciais que conduzem a uma paz interior e ao equilíbrio do universo.

A origem da arte marcial Kempo ou Kenpo

O Kempo ou Kenpo é uma arte marcial que surgiu na China há milhares de anos. Trata-se de uma disciplina que utiliza vários golpes de vários estilos marciais distintos e é por isso que a sua prática exige muita dedicação, força e concentração.

As origens deste sistema datam à volta do ano 525 D.C. quando, de acordo com uma lenda chinesa, um monge indiano chamado Bodhidharma viajou da Índia para a China para expandir e desenvolver o budismo.

Bodhidharma viajou para a província de Honan, chegando ao templo de Shaolin, onde encontrou alguns monges fracos e debilitados, incapazes de se concentrarem nas suas leituras. O monge indiano ensinou-lhes uma série de exercícios físicos destinados a fortalecer os seus corpos e aumentar a sua capacidade de concentração. Estes exercícios, chamados “Shih pa lo han sho” (as 18 mãos de lohan), constituíram as bases do Shaolin Quan Fa, a arte das “mãos vazias”.

A partir daqui, o sistema Quan Fa evoluiu e aperfeiçoou-se e chegou a Okinawa, uma cidade do Japão, onde ficou conhecido por Kempo, que tinha o significado de “A lei do punho”.

A difusão do Kempo ou Kenpo e os seus estilos principais

O Kempo ou Kenpo começou a ser difundido no século XVII quando o sistema Quan Fa entrou em Okinawa, no Japão. Este sistema de luta foi mantido em segredo e foi sendo gradualmente modificado durante sensivelmente dois séculos. Na altura, existiam cinco estilos de Karaté principais: Kobayashi-Ryu, Shoreiji-Ryu, Shito-Ryu, Goju-Ryu e Uechi-Ryu e o Kempo/Kenpo teve um papel fundamental na evolução de cada um. A partir daqui, desenvolveram-se inúmeras técnicas e estilos distintos na prática do Kempo/Kenpo. Dos estilos mais importantes, destacam-se os seguintes:

Kempo Kosho Ryu
Kosho Shorey Ryu Kempo
Shorinji Kempo
Kempo Indiano
Kempo Karate
Kempo Karate Shaolin
Kempo Karate Americano
Kempo Karate White Tiger
Kam Lung Kempo
Kempo Shaolin Americano
Kempo Nippon
Kempo Jujitsu Raven
Kempo Kiyojute Ryu Bugei
Kempo Yoshin

O Kempo ou Kenpo no Ocidente

O Kempo é assim uma arte marcial única, pois oferece aos seus praticantes a capacidade de adaptação ao meio e à situação envolvente. A lei do Punho, como é também conhecido, deve a sua implementação no Ocidente ao mestre James Mitose, 21º descendente do fundador do sistema Kosho Shorey Ryu Kempo. Mitose, nascido no Havai, é enviado para o Japão para estudar e aprender a arte do Kempo com os seus familiares e lá permanece durante 15 anos. Posteriormente, regressa ao Havai e lá começa, nomeadamente em Honolulu, pela primeira vez na história da sua família, a ensinar a arte do Kempo a todos os interessados. A partir daqui, o Kempo/Kenpo começou a ganhar uma enorme popularidade e a crescer de tal forma que começaram a aparecer diferentes escolas de Kempo em diversos países do mundo.

Os princípios fundamentais do Kempo ou Kenpo

O Kempo/Kenpo foi desenvolvido e aperfeiçoado a partir de outras lutas marciais e conseguiu distinguir-se como uma disciplina espiritual com métodos de defesa pessoal bastante eficientes. Porém, a essência do Kempo/Kenpo vai muito além da sua vertente técnica, pois o objetivo principal desta arte passa por formar pessoas que ajudem outras pessoas. Um praticante de Kempo/Kenpo deve encontrar a sua paz interior e com isso desenvolver a sua inteligência, coração e sentido de justiça. Só assim é que é possível construir uma sociedade sã, que valoriza os seus membros de uma forma igualitária. Os princípios fundamentais que o Kempo/Kenpo valoriza são os seguintes:

É necessário viver e acreditar no potencial que cada indivíduo tem;
A vida deve ser seguida pelos ideais que cada um defende e acredita que é melhor para si;

Em qualquer tipo de ação, deve-se ter sempre em consideração a felicidade dos outros;

Deve-se agir sempre com justiça, coragem e compaixão;
Deve-se privilegiar a vida em comunidade ao criar laços de amizade e solidariedade com todos.